Produtores do Distrito Irrigado de Bom Jesus da Lapa podem ter flexibilização nas contas de energia

irrigado

Em função da seca, os produtores do Distrito de Irrigação de Bom Jesus da Lapa preveem dificuldades nos próximos 90 dias para pagar as contas de energia elétrica de suas propriedades rurais. Para tentar evitar o corte no fornecimento e, consequentemente, paralisação da produção agrícola, a categoria recorreu à Coelba para solicitar uma flexibilização do cronograma de pagamento.

A luta contou com o apoio do deputado estadual Eduardo Salles, que participou de audiência, nesta quarta-feira (9), com o gerente do Departamento de Relacionamento com Clientes Corporativos da concessionária, Paulo Medeiros, e com o superintendente da empresa, Emanuel Lôpo.

“Essa audiência foi um pedido do pré-candidato a vereador, Alan Miranda, e dos produtores dos Distrito de Irrigação. Houve uma seca que abortou a florada e causou prejuízos financeiros aos agricultores. Mas mesmo com essas dificuldades as contas atuais estão em dia. Queremos a flexibilização no pagamento das contas que vão vencer nos próximos 90 dias”, explicou Eduardo Salles.

“O que os produtores querem é um cronograma de pagamento apenas para esses 90 dias, enquanto chega a nova safra e eles podem se capitalizar e pagarem suas faturas, como sempre fizeram”, acrescentou o parlamentar.

O Distrito de Irrigação de Bom Jesus da Lapa possui 1.060 produtores e gera, de forma direta e indireta, 15 mil empregos. No local é produzido banana, mamão, melancia, laranja, abóbora, limão, tangerina e outros produtos.

“Não podemos deixar que esses produtores, que já sofreram com a seca, tenha dificuldades para pagar suas contas e terminem desempregando, principalmente porque estamos em um período de crise econômica”, lembrou Salles.

Medeiros informou que vai ligar para a sede da Coelba na região e analisar como resolver o problema.

BANDEIRA VERMELHA

Em reuniões com o ministro da Integração Nacional da época, Gilberto Occhi, com a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, e o presidente da Confederação Nacional da Agricultura, João Martins, Eduardo Salles solicitou a fim da bandeira vermelha para o setor agropecuário.

“Conseguimos tirar a bandeira vermelha no horário reservado, que agora é amarela. Em março será amarela na conta e em abril a bandeira será verde”, comemorou Eduardo Salles.

Com informações da Ascom Eduardo Salles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>